O Piso, o ralo e o fundo do poço

O pão sempre cai com o lado da manteiga virado para baixo.  Pode-se argumentar que a manteiga ou o formato do pão tem alguma influência  mas não precisa ser doutor em estatística: a probabilidade de um lado ou outro bater no chão é de 50%.  Portanto, a manteiga sempre no chão é mérito do azar.  Há inúmeros exemplos destas coisas que parecem dar sempre errado. Mesmo que a probabilidade de dar certo seja de 50%, a de dar errado é de 90%.  Tá bom, a matemática não fecha mas é assim que  acontece.
É assim que a água sempre escoa para o lado contrário de onde está o ralo.  Às vezes  até vai em sua direção mas flui caprichosamente em torno dele e fica empoçada em algum lugar.  Azar? Não, neste caso o mérito é da incompetência de quem fez o piso.  Que coisa irritante o ralo ficar mais alto que o resto do piso, por mais óbvio que parece que tem que ser o contrário.

Nas calçadas não há ralos mas  uma enorme sarjeta correndo ao longo de toda a extensão da rua.  Parece tão fácil fazer a calçada lisa e com o caimento para a sarjeta de onde correria até a galeria pluvial mais próxima. Daí seguiria seu caminho natural sem atrapalhar ninguém.  Quem já andou pelas ruas do Rio de Janeiro sabe muito bem o que acontece quando chove um pouco.  Tem mais poças do que calçadas e as galerias de águas pluviais não escoam a água porque estão entupidas.  Não há calçada reta, nivelada ou sem buracos no Rio de Janeiro. À incompetência somam-se o descaso e o mal uso dos recursos públicos (não seria elegante dizer roubalheira). 

Todo mundo sabe o que está acontecendo no Rio de Janeiro.  Chuva não é nenhum terremoto ou furacão. Pode ser muita, mas ainda assim é chuva. Um problema maior aqui e ali ainda se entende mas  essa catástrofe é inadmissível.  Afinal chove muito no estado do Rio em algum momento quase todos os anos.  A desculpa das autoridades é dizer que a chuva foi a maior nos últimos cem anos e que nenhum lugar está preparado para isso.  
É como dizer que a parada de 7 de setembro pega as forças armadas de surpresa todos os anos.

Fotos: Bread and Butter, by Ebby (24/6/2005, Flickr, Crative Commons);  Megane na Lama, by Cariocadorio (Fevereiro de 2008).

Anúncios

Tags: , , , , , , , , , , , ,

Uma resposta to “O Piso, o ralo e o fundo do poço”

  1. Valéria Says:

    Tenha gatos (e você tem) e você verá que o pão cai para cima, principalmente se tiver requeijão. Eta bicho que seca uma petisco :)))

    Seu último parágrafo sobre a chuva está ótimo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: