Vó … vem cá
Vem cá … vó

Corro, abro portas e janelas
Deixo que entre toda a primavera
Num aroma perfumado que se exala
Ei-la que surge, a criaturinha amada
Me desfaço do pranto,
Já não me sinto só
Quão sublime é ouvir
O nome de vó

Vó … vem cá
Vem cá … vó

Num alheio, dentro deste anseio
Afago seus cabelos, revoltos e desfeitos
Suas mãozinhas, as minhas entrelaçam
Vem ao meu encontro, num fervoroso abraço
Me desfaço do pranto,
Já não me sinto só
Quão sublime é ouvir
O nome de vó

Vó … vem cá
Vem cá … vó

Por Jenny,
dedicado aos netos

Jenny sobre a pedra rachada, Ibicuí, 1950

Foto: Jenny em Ibicuí (1950); acervo pessoal Cariocadorio, proibida a reprodução sem autorização prévia. 

Anúncios

Tags: , , , ,

8 Respostas to “Vó”

  1. Salete Says:

    Descobri a origem do seu talento.
    Como ela era linda!!!!
    Que poema lindo!
    Obrigada por compartilhar conosco.
    Mil beijus
    salete

  2. Wagner Santos Says:

    Minha Querida Tia,
    Quantas saudades.
    Esse poema, foi um dos que ficaram em nossa mente, como uma música que toca mais nas rádios, e se torna a principal de um CD ou DVD.
    Nossa tia não tinha só esse talento. Era Parapsicóloga, conhecia música e tinha uma alegria natural, representada na maneira de se vestir.
    Muitas saudades.
    Fui.

  3. Valéria Says:

    Você sempre me emocionando e me fazendo viajar no tempo e na saudade.

  4. Lavra Says:

    Parabéns à jenny pelos versos, por gostar muito de netos, como eu e pela foto.

  5. cariocadorio Says:

    Pessoal,
    A Jenny cetamente estará super feliz e vaidosa com os comentários e emoções que nos proporcionou.

  6. Rita Says:

    Boa Noite João Carlos,

    A gente encontra poesias para as mães com facilidade, mas para avó é difícil, esta é uma das primeiras que leio e achei sublime, doce. Me fez lembrar da minha mãe e de seus netos, eles brigavam por causa da avó e para morar conosco.

    Com não tive filhos, nunca serei avó, é claro!

    Gostaria de saber quem é Jenny e o seu nome todo se você tiver porque gostaria de ter esta poesia comigo.

    Um beijo,

    Rita

  7. aparecida Says:

    João Carlos
    Acabo de chegar do mar onde ensinava Vicente ,meu neto de 5 anos ,a pegar jacaré de prancha ( agora é body board). Foi maravilhoso porque ele era meu álibi para ” brincar ” tambem.
    A Jenny soube botar em palavras emoção dos avós
    Bjs
    Aparecida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: