O Padre que sabia de tudo

Naquela pequena aldeia vivia um padre que a todos ajudava.  Era o representante de Deus, conselheiro, médico e tudo mais que o povo daquele lugar esquecido precisava.  No dia do seu aniversário, os aldeões agradecidos o presentearam com uma placa que dizia: 
“Padre que sabe tudo”

A vida transcorria tranqüila até o dia em que o rei, que jamais havia sido visto por aquelas paragens, adentrou na única rua da pequena aldeia.  Ao ver a placa em frente á igreja ficou indignado com a ousadia do padre.  Como poderia alguém em suas terras dizer-se sabedor de tudo?

Mandou que chamassem o padre ao seu castelo.  Se não respondesse corretamente a três perguntas que lhe faria o rei, seria condenado à morte na forca.

O anúncio dos arautos assombrou a aldeia.  O sacristão pensou um plano.   Como o rei jamais vira o padre, ele, o sacristão, o substituiria. Todos concordaram menos o padre, que não poderia deixar o sacristão sacrificar-se por ele.  Mas o plano do sacristão incluía embriagar o padre na véspera da viagem e seguir em seu lugar mesmo sem seu consentimento.   E assim fizeram.
                                                              
No castelo, os nobres e os sábios do rei se reuniram para uma tarde de diversão às custas do infortúnio do padre.  Sem mais delongas o rei iniciou a série de três perguntas:

“Quantas estrelas há no céu?”
“3.463.789.347.206”, respondeu sem titubear o sacristão.  
“Como saberei se esta é a resposta certa”, reagiu o rei diante de tanta firmeza.
“Os sábios de  Sua Majestade poderão contá-las e confirmar”, sugeriu o sacristão.
Os sábios preferiram concordar a admitir que não poderiam contar todas as estrelas do céu.

“Quantos cestos preciso para colocar toda a terra daquela montanha?”, disparou o rei.
“Apenas um cesto, majestade”, respondeu o sacristão.
“Quer dizer então que um único cesto poderá conter toda a terra daquela enorme montanha?”, insistiu o rei sob os risos zombeteiros da Corte.
Mantendo a calma o sacristão confirmou: “estou seguro de que sua majestade, caso assim o deseje, poderá mandar construir este único cesto do tamanho da mesma montanha e assim confinar toda a terra que nela se encontre.”
Os risos foram diminuindo enquanto o rei planejava uma terceira pergunta que logo proferiu:

“Muito bem, se quiser livrar-se da forca, o senhor deverá me dizer o que eu estou pensando”.
Fez-se o silêncio no castelo, onde a corte já simpatizava com a causa do padre.  Desta vez a resposta demorou um instante a mais em chegar. 
“Sua majestade está pensando que está falando com o padre que sabe tudo mas, na realidade, está falando apenas com o ajudante dele”.

Nos anais do reino não consta registro de qualquer enforcamento naquele ano de xxxx DC.

Anúncios

Tags: , , , , , ,

3 Respostas to “O Padre que sabia de tudo”

  1. Valéria Says:

    Que ótimo conto. Gostei

  2. Viagem ao século XIX « Cariocadorio's Blog Says:

    […] Cariocadorio's Blog Sobre o Rio e outros assuntos « O Padre que sabia de tudo […]

  3. Aventoe Says:

    Genial, mas quem sabe tudo mesmo são os engenheiros!
    Abs,
    Aventoe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: