Viagem ao século XIX

A família na casa da rua São Francisco Xavier (1895)

Viajei ao Rio de Janeiro do século XIX para conhecer meu avô.  Ou melhor, o avô do meu avô, que com cuidado o levava no colo para a foto da família.  Estava lá aquele com quem me diziam ser parecido quando criança: “É o Tio Nonô”, brincavam meus tios quando eu queira ir embora depressa,  impaciente com as intermináveis despedidas dos mais velhos.   

Nesta viagem reconheci pessoas que não cheguei a conhecer. E vi meu avô criança como jamais pensei pudesse vê-lo um dia e, com ele, seus avós, seus pais e irmãos.  Algumas pessoas que em menino conheci maiores e, como soem pensar as crianças, achava haviam sido assim sempre. 

Vovô e suas irmãs (1960)

De repente refleti que o mundo não começa e acaba em cada um de nós.  Que de filhos passamos a pais, depois a avós e depois a alguma coisa distante que será ninguém, mesmo para aqueles que aqui não chegariam se não fôssemos nós.  Até que alguém nos resgate à vida em uma foto de cento e tantos anos atrás.

Seguindo viagem cheguei ao meu tempo e reconheci o vovô como o conheci.  Descobrindo bichinhos nas nuvens, ensinando números nos papéis e me contando incontáveis era uma vez.  Como a inesquecível história do padre que sabia de tudo (aqui).

Não parei aí.  Fui vencendo o tempo e me reconheci num álbum, de um jeito que me vira um dia no agora um passado distante.  Me olhando curioso estava um homem maduro, que acabara de me conhecer naquela foto.   Ao fazê-lo o homem percebeu que estava diante de alguém que jamais pensara pudesse ver criança um dia. E refletiu que o mundo não acaba nem começa em cada um de nós.  E me apresentou ao seu filho, algumas gerações adiante. 

Fotos: A famíla (1895); Vovô e suas irmãs (1960) – arquivo pessoal Cariocadorio. Proibida a reprodução sem autorização prévia.
Notas:  Vovô é o bebê no colo.  As irmãs são a menina em pé à esquerda e a pequena sentada mais abaixo.  Tio Nonô é o rapaz à esquerda.

Anúncios

Tags: , , , , , ,

5 Respostas to “Viagem ao século XIX”

  1. Luiz D´ Says:

    Texto estupendo!

  2. Valéria Says:

    Qualquer dia você muda de profissão. Vai virar escritor. Que belo livro teremos.
    Grande abraço da fiel comentarista 😀

  3. Karina Says:

    Texto tão poético, tão fluido… dá para sentir a essência da vida, que continua sem se interromper… parabéns!
    Grande beijo
    Karina

  4. Salete Bernardi Says:

    Que foto fantástica!!! Um tesouro! E está em excelente estado de conservação! E o seu texto… que delícia. Nostálgico, especialmente para mim nesse momento, tocou bem fundo meu coração.
    Lindo post, amei.
    beijuuss
    Salete

  5. renata Says:

    li seu texto achei muito interessante,e viajei nesse pequeno texto
    fiquei imaginando como ocorria os fatos,adorei
    bjuss
    renata

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: