Posts Tagged ‘Ipanema’

Ipanema 1970

29 de agosto de 2010

Praia de Ipanema, julho de 1970

Acabáramos de vencer a Copa de 70.  O Rio de Janeiro vivia uma época de franco desenvolvimento na esteira do milagre brasileiro e a praia de  Ipanema era o que mais perto podíamos imaginar do paraíso.  A exposição de brinquedos de plástico nas esquinas dava um colorido especial à orla do Rio.

Na fria tarde de inverno há 40  anos, a menina veste um modelito de “couro molhado”, bem na moda da época. 

Não havia tanta gente na cidade e a segurança ainda não era um problema.  Lá atrás o morro  Dois Irmãos estava longe de ser totalmente tomado pela favela. 

Enquando o austero Aero-Willys desfila tranquilo pela avenida Vieira Souto, não podia faltar o toque de esculhambação tradicional da cidade;  estacionandos com duas rodas na calçada estão um karman-Ghia e uma Variant.

Se quiser um visual ainda mais antigo da Praia de Ipanema pode recuar até 1950, na foto disponível no Saudades do Rio, neste link.

Foto: Praia de Ipanema 1970, (acervo pessoal Cariocadorio, proibido a reprodução sem autorização prévia)

Anúncios

Acidente em Ipanema

29 de janeiro de 2010
Top Top

O sucedido data de outubro de 1976, conforme indicado na moldura dos slides.  Voltava da faculdade com meus amigos Jaime e Dauro e, não sei por que cargas d’água, estava com uma câmera fotográfica. De repente demos de cara com o salseiro.  Pela quantidade de gente era provavelmente um sábado. A  irreverência da foto já mostra que isso não é coisa destes dias. Com o Dois Irmãos ao fundo e a saudosa carrocinha do Geneal à espreita, resolvemos registrar o fato gestualmente. Gesto esse que saiu de moda faz algum tempo. Hoje em dia, diante do quadro, com certeza nossa reação seria outra.

Opala no canteiro central

 Descemos do Opalão azul do Jaime (quem sabe do Corcel do Dauro ou ainda do Passat do meu pai) e fomos assuntar.  Felizmente não havia feridos com gravidade apesar da batida ter sido forte.  Não me lembro como aconteceu o acidente mas envolvia dois Passats, um Opala e uma moto. 

O Opala estava em cima do canteiro central de uma  Av. Vieira Souto novinha. Junto a ele, uma moto que estava estacionada jazia meio troncha. O Passat marrom bateu na traseira do outro que girou na direção da contra-mão e pegou fogo.  

Enquanto passa o Alfa Romeu 2300 ...

Os bombeiros não demoraram a chegar mas já não havia muito o que apagar.  Então aproveitaram para refrescar a rapaziada.     

Água pra refrescar

Como era típico naquela época,  levaram o “TKR” do Passat acidentado.  Se não foi logo depois do acidente já haviam levado antes.  Dá pra notar na foto o buraco no painel onde deveria estar o toca-fitas.     

Interior do Passat

 Há muitos detalhes interessantes nestas fotos. Os carros da época, as motos e as placas amarelas com duas letras e quatro números. As roupas dos banhistas, os penteados e  o uniforme do guarda. Vê-se ainda uma  paisagem da Av. Vieira Souto com poucas árvores e os sinais de trânsito sem a luz amarela. Tá bem, não mostra de frente mas dá pra notar que são duas luzes.  Pra quem não se lembra, o amarelo era substituído pelas luzes verde e vermelha acesas simultaneamente o que funcinava bem, na minha opinião.  Bom mesmo eram as placas atrás dos sinais para evitar que o sol ofuscasse a visão das luzes. 

Essa é uma pequena recordação da Av. Vieira Souto de trinta e poucos anos atrás.  Pelas fotos, não muito diferente de hoje.     Pra quem quiser se divertir desafiando a memória, ficam as perguntas:  

  • Em que esquina aconteceu o acidente? 
  • Qual o ano e o modelo dos carros que aparecem nas fotos?          

Passat marrom, cor típica na época

    Fotos by Cariocadorio: Acidente em Ipanema (1976)

Da Pavuna a Ipanema

27 de dezembro de 2009

     

Ligação Direta

Finalmente uma obra de porte no Rio de Janeiro.  Há muito tempo não se via uma dessas.   Quer dizer que o momento é para se parabenizar o Estado, não é?  Infelizmente não.  A linha elevada do metrô ao longo da Radial Oeste e da Praça da Bandeira até que ficou imponente.  Mas precisava esse monstrengo de viaduto na entrada da Rua Francisco Bicalho?      

Além de tudo ainda iluminam de noite como se fosse uma obra de arte.   Do ponto de vista de engenharia, não encontro justificativas para este monstro.  Muito menos  do ponto de vista arquitetônico.  Fica a impressão de que o governo quis fazer mais uma obra para aparecer.  Como tudo que se faz atualmente, o importante não é o resultado prático, o benefício para a população ou a beleza da cidade.  O objetivo é capitalizar em cima do que se está fazendo.  Por isso é que saneamento básico perde para iluminação, fazer hospital é melhor do que colocar médicos para atender e as escolas que se constróem não têm professores ou merenda.  O negócio é aparecer.     

Além disso os especialistas dizem que é uma obra pela metade.  O projeto original considerava uma passagem em dois níveis no Estácio seguindo até o Largo da Carioca.  A nova linha utiliza os mesmos trilhos existentes. O resultado é um aumento no tempo entre trens de cada linha e uma capacidade muito menor que o projeto original.      

Pra que tudo isso?

O início de operação está sendo bastante tumultuado mostrando que, no mínimo, o planejamento foi mal feito. Só nos resta torcer para que seja apenas uma questão de ajustes para que tudo dê certo.     

Que em 2010 o metrô “Da Pavuna a Ipanema”  faça a população do Rio tão feliz quanto nos fez  o Tim Maia  “Do Leme ao Pontal”.    

 Fotos by Cariocadorio: Ligação Direta; Truss; Pra que tudo isso?  (24/12/2009)