Posts Tagged ‘Palácio Guanabara’

Porto Maravilha, seguem as obras

18 de abril de 2011

Praça Mauá e o Palácio D.João VI

As obras do Palácio D.João VI na Praça Mauá, que começaram há cerca de um ano, seguem em ritmo acelerado .  Em breve o aristocrático prédio, que foi construído em 1916 e passou muitos anos abandonado, será transformado no MAR, Museu de Arte do Rio. Ainda não foram iniciadas as obras do prédio da rodoviária que abrigará o teleférico para o morro da Conceição e será integrado ao MAR.

Bem perto também podemos ver as obras do Museu do Amanhã e diversas obras viárias que dão a esperança de que algum dia a região poderá ser realmente conhecida como Porto Maravilha.   Resta saber se estes museus terão algum tipo de acervo permanente ou se, como tantos outros “centros culturais”, ficarão a espera de mostras temporárias que vão se rareando com o tempo.  Temo que sirvam apenas para inaugurações festivas.

Obras do Museu do Amanhã no Pier Mauá

As cores utilizadas em prédios antigos recuperados têm sido um tanto infelizes. No  Palácio Guanabara as cores claras de mais de um século foram substituidas por um ocre de gosto duvidoso por se tratar da cor original.  Deve ser esta a razão da escolha do cinza para o futuro MAR.   

Polícia Federal, da cor do MAR

Polícia Federal, da cor do MAR

O único problema desta vez é que o mesmo cinza é a cor do prédio da Polícia Federal que fica ali ao lado. 

O palacete se transformando em MAR

Fotos by Cariocadorio, março de 2011:
Praça Mauá e o Palácio D. João VI; Obras do Museu do Amanhã; Da cor da Polícia Federal; O palacete se transforma em MAR.

Anúncios

Palácio Guanabara, em obras

7 de abril de 2011

Palácio Guanabara em obras

O Palácio Guanabarra é reconhecido pela beleza de sua arquitetura e pela harmonia com o belo cenário em seu entorno.  

Rua Paissandu

Rua Paissandu

Outro dia chamou-me a  atenção a reforma do palácio e suas novas cores.  Achei estranho, nunca havia visto o palácio vestido de ocre.  Busquei fotos antigas e todas mostravam tonalidades de bege e branco (como se ve na foto abaixo). 

Uma reportagem da Veja afirma que o tal ocre é a cor original. Por que será que foram descobrir esta cor “original”? Não faz muito tempo pintaram de forma parecida a Igreja da Imaculada Conceição na Praia de Botafogo e a casa de saúde São José.  Será que eram originais também? 

Minha impressão é que se trata da cor da moda para os arquitetos.

O Palácio Guanabara sofreu várias reformas desde a sua construção. Há pelo menos 50 anos tem cores claras.  A cor escolhida escurece e enfeia o Palácio.  Há muito espaço para criatividade mas esta seria uma ótima oportunidade para não mexer em time que está ganhando.  

Em cores claras

Breve hitórico do Palácio Guanabara (fonte Wickpedia):
O Palácio Guanabara foi construído em meados do século XIX pelo comerciante  português José Machado Coelho para ser sua residência. Em 1865 foi reformado para ser a residência da princesa Isabel e do conde d’Eu. Em 1947, tornou-se gabinete da Prefeitura do Distrito Federal. Em 1960, transferido para o então Estado da Guanabara, passou a ser sede administrativa do Governo do Estado. Finalmente, em 1975, com a fusão dos estados da Guanabara e do Rio de Janeiro, passou a sede do Governo do Estado do Rio de Janeiro.

Fotos: Palácio GB em obras, by Cariocadorio (Março, 2011); Palácio GB e Rua Paissundu, by Peter von Fuss (circa 1940) fonte site João do Rio; Palácio Guanabara em cores claras, da Wickpedia.

Estádio do Fluminense

9 de fevereiro de 2010

Estádio do Fluminense - Jan 1969

A seção das arquibancadas do estádio do Fluminense F.C. que ficava atrás do gol foi eliminada em 1962 para permitir o alargamento da Rua Pinheiro Machado.  Mais adiante, na continuação da mesma rua logo após o Palácio Guanabara, foi aumentado o corte no morro que se ve na foto para facilitar o acesso a Botafogo com o mesmo objetivo:

Rua Pinheiro Machado, Jan 1969

A ligação entre as zonas Norte e Sul da cidade, entre Catumbi e Laranjeiras, através do túnel Santa Bárbara, inaugurado em 1963. Nesta época ainda não havia o Túnel Rebouças e 0 percurso entre as zonas norte e sul era feito passando pelo centro ou através do túnel da Rua Alice, em Sta. Teresa.

As obras na Pinheiro Machado levaram muito tempo. Na minha memória, durante o período das obras de 58 a 62, podíamos brincar e jogar futebol em plena  rua Pinheiro Machado.  Não dá pra imaginar  algo semelhante nos dias de hoje.

Observam-se na primeira foto o prédio administrativo do Palácio GB (junto ao morro) e a arquibancada das piscinas do Fluminense após o estádio.  Estas obras foram feitas entre 1962 e 1969, uma vez que não aparecem na sequencia de fotos da derrubada das arquibancadas do estádio anteriores a 1962.

Estádio do FFC, 1962

É curioso que, além das obras mencionadas acima, apenas a colocação da cobertura do posto de gasolina que aparece na foto da rua modificaria de forma significante a imagem de 1969.

Estádio do FFC, 1962

Na foto menor, ao lado,  vemos o momento anterior à demolição da aequibancada para dar lugar às novas pistas da rua.  Já haviam sido demolidas as casas que ficavam na frente do estádio.

A última foto, provavelmente de 1958, mostra o estádio  completo, antes do início do alargamento da Pinheiro Machado.    O pequeno prédio no canto esquerdo da foto ainda está lá.  A fotografia  mostra uma parada no campo do Fluminense que foi usado para muitos eventos além do futebol.  Creio que foi aí que Villa Lobos comandou um imenso coro formado por alunos das escolas do Rio de Janeiro.

Estádio do Fluminense, 1958 (?)

Complementando as informações, clique aqui para ver a belíssima foto aérea da região, de 1936,  que foi recentemente postada no FotoLog “Tempo Antigo”.  O prédio de onde foram tiradas as fotos acima ainda não existia na época.

Mais detalhes nos FotoLogs “Arqueologia do Rio de Janeiro” e “Antiquus” nos links abaixo, com foto de 1962 e mapas de 1960 e 1968.

http://fotolog.terra.com.br/bfg1:606
http://fotolog.terra.com.br/bfg1:605