Posts Tagged ‘praia’

Praia de Copacabana em 3 tempos

27 de maio de 2011

A imagem do entardecer na Praia de Copacabana é do dia 30 de maio.  O Brasil havia vencido a Costa do Marfim mantendo vivas as vãs esperanças na Copa de 2010.  Destacam-se as luzes que se acendiam, as camisetas amarelas e o telão FIFA instalado na praia.   

A Praia de Copacabana em 2002, vendo-se ao fundo a Praia do Leme e o Pão de Açúcar. À esquerda, a torre do Rio Sul.  Interessante que o Pão de Açúcar só se vê neste ângulo, não aparecendo nas outras duas fotos.

A foto em preto e branco é da década de 50. Pode-se ver a Av. Atlântica ainda estreita, antes do grande aterro hidráulico do início da década de 70 que aumentou a praia e permitiu alargar as pistas da Avenida.  O calçamento em pedras portuguesas que a fez famosa em todo o mundo data da década de 20.

Clique nas fotos para vê-las ampliadas. Para quem se interessar, qualquer busca na internet resultará em milhares de fotos de Copacabana. 

Fotos: Praia de Copacabana ao entardecer (30/05/10) by Cariocadorio; Copacabana em 2002, by Odervan Santiago e Copacabana na década de 50 são postais da Editora Melhoramentos.

Anúncios

Antipatias Cariocas

11 de dezembro de 2009

(13/01/2010:  edição revista e aumentada com os comentários dos navegantes.  Texto completo nos comentários de acada um)

O Rio tem algumas coisas antipáticas.  Não falo do caos urbano, da guerra do tráfico nem da poluição.  Estas são tragédias cariocas.  Antipatias são coisas pessoais, cada um sente as suas, às vezes nem dá pra explicar.  Gostaria que este fosse um artigo de todos.  Vamos falar do que é antipático no nosso Rio de janeiro.

  • Garçon do Bar Lagoa,  a maioria conhece.  Faz parte do folclore e alguns acham que está bom assim mesmo.    
  • Estacionamento do Botafogo Plaza Shopping, que tal? Você chega e vê aquele espaço todo vazio mas vaga só no andar de cima. Porque ali em baixo, no lugar fácil, só se você pagar o “valetiparquin”.  Tenho má vontade em ir lá por causa disso, atrapalha até a imagem do shopping. 
  • Aeroporto do Galeão.  Depois de uma viagem recente resolvi dar prioridade ao nosso aeroporto e fazer um artigo a parte.  Veja clicando aqui. Isso tá mais pra anarquia do que antipatia carioca.
  • Ruas e calçadas.  Péssima conservação. Onde passamos, temos sempre grande possibilidade de cair em algum buraco ou cratera.  E quando chove … (por Wagner e apoiado por muitos, reforçado por Isabel depois que um buraco na rua rasgou o pneu)
  • Na praia. O loteamento e a gritaria dos vendedores.  (por Denise)
  • Falta de educação. No trânsito, os péssimos motoristas de ônibus, vans e táxis,  a mania de falar alto em lugares públicos, os celulares no cinema…dá pra fazer um blog só disso. (por Denise)
  • Falta de banheiros públicos.  Algo irritante. Não tente ir ao banheiro quando estiver no centro da cidade, senão terás sérios problemas. Por que não colocar banheiros públicos em pontos estratégicos da cidade? (por Claudio)
  • Lixo nas ruas e nas praias.  É algo impressionante. Eu fui a Praia de Ipanema (eu costumo chegar por volta das 8:00 h e caminhar até o Leblon) e o lixo assustava tanto que cheguei a conversar sobre a falta de educação das pessoas com dois garis. Por que não fazer uma campanha publicitária agressiva sobre o assunto e usar agentes para repreender as pessoas? (por Claudio)
  • Flanelinhas e mendigos.  presença irritante nas ruas.  E a Guarda municipal só multa os carros.. (por Claudio).
  • Camelôs nas calçadas. Os camelôs nas calçadas, principalmente aqueles que estendem as capas de inúmeros softwares pirata reduzindo a passagem na calçada, é outro ponto irritante. (por Claudio)
  • Taxa de iluminação.  A previsão de cobrança pela precária iluminação pública é outro ponto irritante na nossa querida cidade e deste prefeito. (por Claudio)
  • Desmatamento e balões. Os morros estão ficando carecas.  Balões causam queimadas. Quem mora em casa é que sabe como é o inferno quando um balao cai em seu quintal ou telhado e um bando de loucos invade sua casa durante a noite apenas para recuperar os restos mortais de um balao caido. (por Roberto)
  • Televisão nos bares e restaurantes.  Televisões ligadas em quase todos os bares e restaurantes da cidade, não solicitamos isso e está sendo imposto!  As pessoas não se olham,  não batem papo, mas assistem TV caladas, lado a lado, nas mesas de bar! (por Evelyn)
  • Falar no rádio Nextel em lugar público.  As pessoas  usam os seus aparelhos de Nextel (rádios) no viva voz, obrigando a todos que estão em volta, seja no onibus, na rua, no elevador, enfim, em qualquer lugar público, participar do que esta sendo discutido.  E o “alerta” também perturba todo mundo. (por Isabel)
  • Mijões dos blocos de carnaval.  Já comentaram aqui sobre a falta de banheiros públicos, concordo, mas nada justfica a porcaria desses camaradas (por Andreia).
  • Transporte marítimo Rio-Niterói. O Governo do Estado do Rio de Janeiro, em conluio com a iniciativa privada, consegui transformar o prazer enorme que era a travessia Rio/Niterói, pelas saudosas barcas, num tormento inenarrável. Com dijanelas altas e diminutas, verdadeiras escotilhas, retirou-se a visão relaxante da paisagem e o frescor da brisa marinha, agora substituídos pelo pelo calor sufocante proporcionado pelo inexistente sistema de ar condicionado, tão anunciado pela imprensa à época da construção dos novos mausoléus flutuantes. (Por Galdino)

Agora que você já sabe qual é a idéia, vamos fazer uma lista. Em “deixar um comentário”, descreva o que você acha antípático no Rio.  Vale qualquer coisa, é pra desabafar.  Se der certo eu compilo os comentários e atualizo o artigo.  Aí ponho uma foto bem antipática também.