Posts Tagged ‘preço’

A partir de …

23 de maio de 2010

Os anúncios de jornais e outras midias estão cheios destas ofertas promocionais a partir de um certo preço.  Quase sempre é empulhação.  Carro a partir de é sem o básico e, mesmo que você o queira assim, dificilmente a concessionária tem um por aquele preço.  Sempre vem com alguns acessórios básicos e aí o preço já é mais caro.  Sempre o que você realmente quer custa muito mais.  Mas falemos de bermudas.

Na vitrine de uma conhecida loja de roupas lá estavam duas bermudas cargo .  O preço era claríssimo: R$51,00.  Na saída conferi, nada de a partir de… Entrei na loja. Atrás da mesma vitrine uma estante baixa com as bermudas empilhadas.  Logo a bonita e simpática vendedora me ofereceu:

“Lá atrás temos as bermudas penduradas, mais fácil de escolher.”

Vendedores às vezes atrapalham mas desta vez fazia sentido.  Segui a atenciosa vendedora e comecei a escolher as bermudas. Variavam em cor e em detalhes mas eram praticamente iguais. Após prová-las escolhi duas.  A vendedora as levou para o balcão e informou o preço:

“São cento e trinta e oito reais. Em dinheiro ou cartão?”

Nesta hora entrou em ação o meu rápido e brilhante raciocínio matemático.  Em fração de seguntos percebi que havia algo errado e disse à tal da vendodora.

“Mas não seria cento e dois reais?”

A dita cuja me levou até a pilha de bermudas da entrada da loja e me mostrou do alto do seu cinismo:

“Veja, o preço é a partir de R$51,00…”

De fato, em letras bastante pequenas, como soe ser, lá estava o maldito a partir de.  Claro que eu havia escolhido o mais caro.  Ficava eu entre deixar as bermudas ali ou levá-las por um preço 35,3% mais caro que o da vitrine.  Aliás, na vitrine não havia nem o sacana do a partir de.  Mas como custa-me escolher bermudas, levei assim mesmo.  Eles sabem bem como é, você já escolheu e acaba levando, nos dois sentidos.

TACO

Não há razão para tal diferença de preço da vitrine até o fundo da loja, 8 metros mais atrás. Exceto a técnica desleal de venda praticada pela loja.  Some-se a isso a cuidadosa atenção da vendedora e estamos diante de um caso puro e simples de falta de ética. Triste.
E você, já passou por isso?