Archive for outubro \24\UTC 2013

A pia quadrada e o meio-ambiente

24 de outubro de 2013

Não há um só arquiteto que não ponha pelo menos uma pia quadrada em seus projetos. Pudera, depois de séculos de ditadura das pias arredondadas, as pias quadradas chegaram para dar um alento à criatividade destes profissionais. 
Pena que chegaram justamente quando a sociedade se preocupa tanto com o meio-ambiente.

E o que tem uma pia quadrada com o meio-ambiente? Tudo. 

Retangular de fundo plano

Retangular de fundo plano

Você já percebeu o esforço que a água tem que fazer para descer pelo ralo de uma pia quadrada? Pois é, porque não há hidrodinâmica de escoamento que resista a um fundo plano e cantos em ângulo reto.  Nas pias arredondadas a gente pode até saber em que hemisfério do planeta esta. Basta observar pra que lado gira o redemoinho formado pela água.  Enquanto isso, nas quadradas e retangulares temos que ficar rezando para a água escoar inteiramente. 

E me explica como é que você faz para deixar a pia limpinha após fazer a higiene bucal depois, digamos, de uma boa salada com alface, agrião, espinafre e outros verdes.  Nas pias quadradas é difícil fazer os verdinhos que sobraram correrem para o ralo.  O problema é que a água desce e eles teimam em ficar no fundo da pia.  E cada vez que você abre a torneira mais os verdinhos se afastam do ralo.  E você joga mais água direcionando com as mãos para os cantos.  Mas insistem em ficar ali os resquícios da sua salada. Aí você fica de saco cheio e retira os inconvenientes verdinhos com papel toalha. Você perde um tempão, enxuga a mão três vezes e desperdiça muita água.  Sem contar o papel.

Antes que alguém invente o vaso sanitário quadrado de fundo plano, que voltem à moda as tradicionais pias arredondadas que facilitam o fluxo da água rapidamente para o ralo.  O meio-ambiente agradece.

Foto da pia retangular by Cariocadorio.

Anúncios

VLT na Perimetral, a solução para Rio

21 de outubro de 2013

A prefeitura do Rio de Janeiro guarda a sete chaves um anúncio bombástico para o início de novembro.  Em meio às críticas sobre as consequencias no trânsito do Centro, a Prefeitura anunciará que o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) deslizará sobre a pista da atual Perimetral.  O elevado não será derrubado, como até então previsto, mas modificado para acomodar este novo modal. O efeito arquitetônico desta mudança trará os resultados esperados para a integração da região portuária.

Carro de VLT em exposição

Em reunião fechada presenciada por uma fonte que não quer ser identificada, o Prefeito declarou estar atento às vozes das ruas.
“A Perimetral jamais deveria ter sido construída mas simplesmente derrubar uma via elevada pronta seria realmente um desperdício”. 

A utilização da estrutura da perimetral para abrigar o leito do VLT permitirá o melhor aproveitamento da avenida.  A largura de pouco mais de seis metros necessária para este modal permitirá a drástica redução do atual platô da via para automóveis.  Assim, a tão criticada obstrução entre a cidade e o mar será praticamente eliminada. 

A renomada arquiteta espanhola Arantcha Berastategui, contratada pela Prefeitura para o projeto, declarou que o tratamento paisagístico dado ao elevado da Perimetral integrará sua estrutura à cidade de forma a permitir uma transição harmônica  entre o meio físico do tecido urbano e a fuidez das águas da baia de Guanabara”.

O VLT elevado na Perimetral, além de dar um ar futurístico ao Rio de Janeiro, promete ser mais uma atração turística na Cidade.  Desde o alto da Perimetral, os passageiros  terão uma visão privilegiada da baía de Guanabara e do Centro histórico do Rio de Janeiro. 

Ligação entre Aeroportos do Rio de Janeiro com VLT

O sistema ligará os aeroportos Antonio Carlos Jobim e Santos Dumont.  Os veículos trafegarão a uma velocidade média de 56 Km/h. O percurso de 17,7 Km prevê, além dos 2 terminais nos aeroportos, mais 6 estações: Praça XV, Praça Mauá, Terminal de cruzeiros do Porto Maravilha, Francisco Bicalho (com saídas para a atual rodoviária e para o INTO) e mais duas estações na Ilha do Fundão, Cidade Universitária e CENPES. O sistema da Perimetral será integrado com os demais VLTs do Centro, com a estação das barcas e com o BRT Transcarioca.

Ilustrações: Carro de VLT (obtida na internet); Perimetral – trajeto entre aeroportos do Rio (Google mapas)

Será isto um factóide…?